Diário reflexivo 18/10/12

Momento de conflito, é o título que uso para descrever meus sentimentos essa semana.

São as disciplinas, as discussões, as leituras e minha realidade tanto na escola onde trabalho quanto no curso online do qual sou moderadora que têm colocado um ponto de interrogação 'a minha frente. Na aula de hoje verbalizei minha frustração e conflito em dizer que vejo uma distância entre ter um conhecimento e levar isso para a prática. Juliano, mesmo, durante sua explanação sobre o capitulo de Alvarez Mendes, mencionou do desafio da busca pela coerência entre nossa própria concepção de ensino , avaliação e aprendizagem e uma coesão prática.

Sempre busquei abrir espaço para a participação de meus alunos em sala de aula, propondo atividades mais comunicativas. No entanto, o estudo de leituras tem me mostrado uma Ana Maria , educadora, diferente do que eu imaginava. Tenho percebido por meio das minhas aulas, uma Ana Maria um pouco autoritária, que no fundo vê seu papel como transmissora de conhecimento. Essa coisa de diário reflexivo realmente nos deixam expostos , não só aos olhos do outro mas também aos nossos olhos. E isso incomoda.

Outra frustração é ver o quão vazios são os discursos de professores , escolas e sociedade em relação á educação. O estudo dos PCN e da LDB deixa isso bem claro. Tudo que temos lido em Luckesi, Paulo Freire, Hadji e Alvarez Mendes já estava presente na LDB desde 1996 e nós aqui em 2012, 14 anos depois ainda cristalizados em nossa prática. Iniciei o mestrado especialmente interessada na integração da tecnologia na formação de professores e tenho percebido que a questão é ainda mais complexa. O desafio não está somente em "normalizar" as tecnologias entre os professores mas principalmente de utilizarmos a tecnologia como instrumento de uma mudança na postura do professor em relação a ensinar. E como ter uma postura também coerente com o processo avaliativo?

Agradeço muito à minha orientadora , Dilma, pela sugestao em fazer esta disciplina e à professora Maria Inês que tão carinhosamente nos guia nesse despertar de consciência. No momento, vejo mais perguntas que respostas, mais conflito do que soluções , mais tensão do que harmonia. Mas será que crescer e aprender não é isso mesmo