Planejamento para 2012/2
AULA 1 (09/08): Apresentações; Introdução sobre reflexão
Expectativas para a disciplina; Crenças e reresentações sobre a avaliação
Apresentação do Plano de Curso, Plano de Avaliação e da Bibliografia básica do Curso
Apresentação de Slides : a) Educação Reflexiva; b) diários reflexivos; c) explicação do uso na disciplina; Apresentação slides: Portfólio
Leitura obrigatória para a resenha do primeiro mês: FREIRE, P. (1979) Educação e Mudança. 31ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008. (entrega em 23/08)
AULA 2 (16/08): - Linguística Aplicada e formação de professores de línguas
Leitura obrigatória para apresentação e debate:
CELANI, M.A.A. Transdisciplinaridade na Linguística Aplicada no Brasil. In: SIGNORINI, I. e CAVALCANTI, M.C. (orgs.) Linguística Aplicada e Transdisciplinariedade. Campinas, SP.: Mercado das Letras, 1998. Pp. 129-142
CELANI, M.A.A. Um programa de formação contínua. In: M.A.A. CELANI (org.) Professores e Formadores em mudança: relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente. Campinas, SP.: Mercado de Letras, 2002. – (Coleção As Faces da Linguística Aplicada). Pp. 19-35.
LEFA, V.J. A linguística aplicada e seu compromisso com a sociedade. Trabalho apresentado no VI Congresso Brasileiro de Linguística Aplica. Belo Horizonte: UFMG, 7-11 de outubro de 2001. Disponível em http://www.leffa.pro.br/textos/trabalhos/la_sociedade.pdf
MENEZES, V., SILVA, M.M., GOMES, I.F. Sessenta anos de Linguística Aplicada: de onde viemos e para onde vamos. In: PEREIRA, R.C. e ROCA, P. Linguística Aplicada: um caminho com diferentes acessos. São Paulo: Contexto, 2011. Pp. 25-50.
MOITA LOPES, L.P. Da aplicação da Linguística à Linguística Aplicada indisciplinar. In: PEREIRA, R.C. e ROCA, P. Linguística Aplicada: um caminho com diferentes acessos. São Paulo: Contexto, 2011. Pp. 11-24.
RAJAGOPALAN, K. Repensar o papel da Linguística Aplicada. In: Branca FABRÍCIO ... {et al.} MOITA LOPES, L.P. (org.) Por uma Linguística Aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. Pp. 149-168.


AULA 3 (23/08): - Representações ou crenças sobre aprendizagem de línguas
BARCELOS, A.M.F. Crenças sobre aprendizagem de línguas, Linguística Aplicada e ensino de Línguas. Linguagem & Ensino, Vol. 7, No. 1, 2004 (pp. 123-156). Disponível em http://rle.ucpel.tche.br/index.php?sCentro=php/edicoes/v7n1/v7n1.php
BARCELOS, A.M. Reflexões acerca da mudança de crenças sobre ensino-aprendizagem de línguas. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, V. 7, No. 2, 2007 (pp. 109 – 136). Disponível em http://www.letras.ufmg.br/rbla/2007_2/05-Ana-Maria-Barcelos.pdf
CELANI, M.A.A. E MAGALHÃES, M.C.C. Representações de professores de inglês como língua estrangeira sobre suas identidades profissionais: uma proposta de reconstrução. IN: Luiz Paulo da MOITA LOPES e Liliana Cabral Bastos (org.) Identidades – recortes multi e interdisciplinares. Campinas, SP: Mercado das Letras, 202. (pp. 319 – 338)
RIBEIRO, F.M. Investigando as representações que o professor de inglês da rede pública faz de si mesmo. In: M.A.A. CELANI (org.) Professores e Formadores em mudança: relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente. Campinas, SP.: Mercado de Letras, 2002. – (Coleção As Faces da Linguística Aplicada). Pp. 149-158.
Entrega Resenha FREIRE, P. (1979) Educação e Mudança. 31ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.
AULA 4 (30/08): Concepções de linguagem, Concepções de Aprendizagem, Metodologias de Ensino de Línguas e Pressupostos téorico-metodológicos da avaliação.
  • Apresentação de slides e discussão.
KOCK, I. As diferentes concepções de Linguagem. Consultado em 25/06/2010 Disponível em: http://acd.ufrj.br/~pead/tema01/link19.html.
WOJCIECHOWSKI, T. O ensino de língua portuguesa: objetivos e concepções de
linguagem guiando a prática docente.Disponível em :
http://www.ie.ufmt.br/semiedu2009/gts/gt16/ComunicacaoOral/THAIS%20WOJCIECHOWSKI.pdf . consultado em 29/07/2010
GERALDI, J.W. et al. (orgs.). O texto na sala de aula. 2. ed. São Paulo: Ática, 1999.
LEFFA, Vilson J. Metodologia do ensino de línguas. In BOHN, H. I.; VANDRESEN, P.
Tópicos em lingüística aplicada: O ensino de línguas estrangeiras. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1988. p. 211-236. Disponível em: http://www.leffa.pro.br/textos/trabalhos/Metodologia_ensino_linguas.pdf. Consultado em 29/07/2009.

AULA 5 (06/09): Avaliação: conceitos básicos; O que é avaliação? A avaliação formativa, a avaliação diagnóstica,avaliação somativa, formação de professores
SOUZA, S.Z.L. Conhecendo a gênese da Avaliação. Disponível em :
http://inforum.insite.com.br/arquivos/5067/01_-_A_GENESE_DA_AVALIACAO.doc, consultado em 25/07/2009
LUCKESI, C. C. O que é mesmo o ato de avaliar a aprendizagem? Disponível em http://www.artmed.com.br/patioonline/patio.htm?PHPSESSID=47c842e39090dec902020db09b210123. Acesso em: out. 2004.
VILLAS BOAS, B.M. de F. Avaliação formativa e formação de professores: ainda um desafio. Disponível em : http://www.fe.unb.br/linhascriticas/n22/AVALIACAO_FORMATIVA.htm, consultado em outubro de 2008.
AULA 6 (13/09): Seminários: Avaliação da aprendizagem escolar -
LUCKESI, C.C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. - 14ª. ed. - São Paulo: Cortez, 2002


AULA 7 (20/09): Avaliação na LDB e Parâmetros curriculares (Pesquisa e discussão)
Apresentação de slides: a) LDB e PCNs; b) PCNs (COELHO, M. – adaptação)
NASCIMENTO, E.L. e ZIRONDI, M.I. Prova do ENEM: um gênero desencadeador de novas ações pedagógicas? Disponível em www.inep.br/ . Acessado em 20/05/2005.
- Grades de observação: avaliação qualitativa; elaboração de grades de avaliação qualitativa.

AULA 8 (27/09): Práticas avaliativas alternativas: Auto-avaliação e avaliação dos pares
Apresentação de slides: Formação em auto-avaliação
CARDOSO, C. (coordenador) BARBOSA, J. e ALAIZ, V. Auto-avaliação. Disponível em http://www.dgidc.min-edu.pt/serprof/acurric/av_es/texto(33).pdf, consulta em março, 2009.
PERRENOUD, P. De l’évaluation formative à la régulation maîtrisée des processus d’apprentissage. – Vers un élargissement du champ conceptuel. Disponível em : http://www.unige.ch/fapse/SSE/teachers/perrenoud/php_main/php_1997/1997_11.html
Consultado em março, 2009.
SANTOS, L. Auto-avaliação regulada: por quê, o quê e como ? Disponível em : http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/msantos/textos/DEBfinal.pdf , consultado em julho 2010
CHAMMINGS, E. et alii. Auto-évaluation et co-évaluation en EPS : une réponse à l’intention d’autonomie ? Productions Méthodologiques et Thématiques en Education – N° 1 – Juin 2008. Disponível em : http://web.univ-pau.fr/ENSEIGNEMENT/STAPS/IMG/pdf/Art_08.pdf , consultado em julho de 2010.


AULA 9 (04/10):Seminários: Avaliação x exame
ÁLVAREZ MÉNDEZ, J. M. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Trad.Magda Schwartzhaupt Chaves. PortoAlegre: Artmed Editora, 2002.


AULA 11 (11/10): PORFOLIOS
Apresentação de slides: Portfolio (tradução e adaptação de Felice, M.I.V.)
Projetar Texto: PORTFOLIO
ALBERTINO, F.M.F. e SOUSA, N.A. Avaliação da Aprendizagem: o portfolio como auxiliar na construção de um profissional reflexivo. Disponível em http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1020/1020.pdf, consulta em julho, 2010.
Entrega da resenha: HADJI, C. Avaliação desmistificada. Trad. Patrícia C. Ramos. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

AULA 12 (18/10): ): Análise de Instrumentos de avaliação
Reflexão crítica de instrumentos de avaliação trazidos pelos participantes do curso (provas, testes, exames, etc)
AULA 13 (25/11): Entrega de grades de avaliação construídas pelos participantes do curso.


AULA 14 (01/11): Seminários:
- PERRENOUD, P. et al. As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Trad. Cláudia Schilling e Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002.
AULA 15 (08/11): Apresentação dos Portfolios ; avaliação da disciplina.